• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sexta-feira 14 de junho de 2024

Espanha, Noruega e Irlanda vão reconhecer Estado palestino e Israel se irrita com decisão

Decisão de países europeus gera críticas por parte de Israel


cnn

Publicada em: 22/05/2024 11:07:23 - Atualizado

MUNDO: Espanha, Noruega e Irlanda anunciaram planos para reconhecer formalmente um Estado palestino, numa medida que provavelmente reforçará a causa palestina global, mas prejudicará as relações com Israel.

O Estado palestino foi reconhecido por mais de 130 dos 193 estados membros das Nações Unidas, de acordo com a Organização para a Libertação da Palestina.

“Hoje, a Irlanda, a Noruega e a Espanha anunciam que reconhecemos o estado da Palestina. Cada um de nós tomará agora todas as medidas nacionais necessárias para dar cumprimento a essa decisão”, disse o primeiro-ministro irlandês, Simon Harris, numa conferência de imprensa em Dublin, nesta quarta-feira (22).

O primeiro-ministro da Noruega, Jonas Gahr Støre, disse que a guerra em Gaza “deixou claro que o alcance da paz e da estabilidade deve ser previsto na resolução da questão palestina”.

“No meio de uma guerra, com dezenas de milhares de mortos e feridos, devemos manter viva a única alternativa que oferece uma solução política tanto para israelenses como para palestinos: dois Estados, vivendo lado a lado, em paz e segurança”, disse Støre.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, disse: “Reconheceremos o estado da Palestina pela paz, coerência e justiça”.

“Este reconhecimento não é contra o povo de Israel e certamente não é contra os judeus”, disse ele. “Não é a favor do Hamas. É a favor da coexistência.”

O ministro das relações exteriores de Israel, Israel Katz, disse que o seu país “não vai se conter contra aqueles que minam a sua soberania e põem em perigo a sua segurança”.

“A Irlanda e a Noruega pretendem enviar hoje uma mensagem aos palestinos e a todo o mundo: o terrorismo compensa. Depois de a organização terrorista Hamas ter levado a cabo o maior massacre de judeus desde o Holocausto, depois de ter cometido os crimes sexuais mais horríveis que o mundo já viu, estes países optaram por recompensar o Hamas e o Irã e reconhecer um Estado palestino”, acrescentou Katz. em comunicado divulgado pelo ministério.



Fale conosco