• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 15 de junho de 2024

Moraes manda PGR arquivar inquérito de interferência de Bolsonaro na PF

Em março de 2022, a Polícia Federal concluiu que Bolsonaro não cometeu crime na troca do comando da corporação


R7

Publicada em: 19/05/2024 11:43:13 - Atualizado

BRASIL: O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmar o pedido de arquivamento do inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro (PL) interferiu politicamente na Polícia Federal (PF).

Em março de 2022, a Polícia Federal concluiu que Bolsonaro não cometeu crime na troca do comando da PF em 2020, episódio que culminou na demissão de Sergio Moro, que era o ministro da Justiça e Segurança Pública à época e levou à abertura de inquérito no STF para apurar suposta interferência do presidente na corporação.

Segundo a PF, não há “elementos indiciários mínimos” de crime na troca feita por Bolsonaro no comando da PF. “(...) Abra-se vista dos autos à Procuradoria-Geral da República para eventual ratificação da proposta de arquivamento. Cumpra-se. Publique-se”, disse o ministro no despacho.

O primeiro pedido de arquivamento da investigação foi feito pela então vice-procuradora-geral da República Lindôra Araujo em setembro. O segundo foi em novembro.

A investigação foi aberta após Sergio Moro deixar a pasta da Justiça e Segurança Pública afirmando que o presidente tentou interferir no comando da PF. O ex-ministro citou no processo falas de Bolsonaro em reunião ministerial na qual que o presidente comentou a atuação da PF na direção-geral e na superintendência do Rio de Janeiro. Bolsonaro sempre negou qualquer irregularidade.





Fale conosco