• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quinta-feira 13 de junho de 2024

Deputados aprovam moção de repúdio contra Madonna, Anitta e Vittar por ‘vilipêndio da fé'

A turnê The Celebration Tour in Rio foi realizada no dia 4 de maio e reuniu 1,6 milhão de pessoas na Orla de Copacabana


Agência Estado

Publicada em: 23/05/2024 10:17:53 - Atualizado

BRASIL: A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovou nessa quarta-feira (22) uma moção de repúdio contra as cantoras Madonna, Anitta e Pabllo Vittar pelo conteúdo do show gratuito feito na praia de Copacabana no último dia 4 de maio. Os autores argumentam que as artistas “vilipendiaram a fé da maioria da população brasileira”.

O requerimento é de autoria dos deputados Chris Tonietto (PL-RJ) Dr. Allan Garcês (PP-MA), Cristiane Lopes (União-RO), Clarissa Tércio (PP-PE) e Júlia Zanatta (PL-SC). As deputadas Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e Erika Kokay (PT-DF) tentaram retirar o texto da pauta do colegiado, mas não obtiveram sucesso.

Uma das deputadas que votou a favor da manutenção da moção de repúdio na pauta da comissão foi Daniela Carneiro (União-RJ). A parlamentar foi ministra do Turismo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entre janeiro e julho do ano passado.

De acordo com o Código Penal, o crime de “vilipêndio da fé” significa desrespeito praticado por fala, escrita ou gestos ofensivos por motivo de crença, ou função religiosa.

Além das artistas, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), e o prefeito da cidade do Rio, Eduardo Paes (PSD), foram incluídos na moção de repúdio. De acordo com Allan Garcês, os gestores são responsáveis por terem permitido que o show ocorresse.

“Se a Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo do Rio de Janeiro assinaram esse contrato sabendo desse teor sexual e do teor erótico que esse show ia ter, de forma aberta ao público, então, com certeza, eles assumiram o risco”, declarou o deputado.

Além do “vilipêndio à fé”, os parlamentares afirmaram que a apresentação em Copacabana teve um “forte viés erótico”.

“O caráter erótico e de inspiração pornográfica de suas coreografias que simulavam posições sexuais e verdadeiras orgias no palco — além de torná-las impróprias à audiência mais jovem da apresentação, que foi transmitida em rede nacional, sendo acompanhada por milhões de brasileiros de todas as idades, inclusive crianças —, ofende gravemente os princípios morais da maioria da população brasileira e mesmo o mínimo padrão de decência necessário a uma convivência social harmoniosa”, diz um trecho da moção de repúdio.

A turnê The Celebration Tour in Rio foi realizada por Madonna e reuniu 1,6 milhão de pessoas na Orla de Copacabana. Anitta e Pabllo Vittar foram convidadas pela artista e realizaram performances ao lado da rainha do pop.

Compareceram ao evento políticos como o senador Jorge Seif (PL-SC), o advogado e ex-assessor do ex-presidente Jair Bolsonaro, Fábio Wajngarten, e o governador Cláudio Castro. Também estiveram no local o presidente nacional do União Brasil, Antonio Rueda, e o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG).




Fale conosco