• Porto Velho

    quarta-feira 22 de setembro de 2021

Cantor pernambuco participa de live solidária para ajudar artistas locais

Eis um trecho do lamento do músico pernambucano de nascença, mas acreano por opção e de coração de 62 anos...


Márcio Nunes

Publicada em: 29/04/2021 23:09:59 - Atualizado

Cantor e compositor Hélio Montnegro, conhecido artisticamente como H. Montnegro participa de uma live solidária marcado para o dia primeiro de maio, a partir das de 17, tendo por objetivo arrecadar recursos financeiros para ajudar os artistas acreanos que encontram-se em extremam dificuldade em função da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Pernambuco de Recife, Montnegro faz sucesso desde 1985. Em 36 nos de profissão, ele afirma nunca ter presenciado tanto sofrimento por parte dos que fazem parte do mundo musical. “Não sou artista, mas sim um operário da música”, afirmou Montnegro em entrevista ao jornalista Antonio Muniz, nesta sexta-feira, no programa RB Notícias, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT. “Artista é trabalhador. Tem família pra sustentar. E a fome não espera. Mãe e pai se desesperam. Quando ver filho chorar”. Eis um trecho do lamento do músico pernambucano de nascença, mas acreano por opção e de coração de 62 anos, sobre a difícil realidade enfrentada pela classe artística durante a pandemia de coronavírus no Acre. “Unidos, venceremos”, afirmou.

Montenegro lembrou que os artistas acreanos estão há mais de um ano impedidos de se apresentarem nos palcos e sem o apoio frequente do poder público, artistas das mais variadas vertentes, que tinham sua criatividade como ganha-pão, amargam dificuldades que vão desde o acúmulo de dívidas até a fome. As dificuldades da classe artística serviram como inspiração para a nova canção. E é exatamente sobre essa infelicidade que o cantor versa na composição da nova música “Força das Vozes”, que está em processo de musicalização e ganhará clipe com dez cantores até o fim do mês. A ideia da canção, segundo Montenegro, surgiu durante conversas em grupos das Câmaras Temáticas das quais ele participa com outros artistas locais. O músico, que também é ator, tem propriedade para escrever e cantar sobre a difícil lida em tempos de crises sanitária e econômica. Além de deixar os palcos, Montnegro, que dá aulas particulares de música, viu a quantidade de alunos diminuir em 80% desde o agravamento da pandemia, que já matou mais de 1.400 acreanos e quase 390 em todo o Brasil.

O cantor afirmou que a maioria dos músicos tem na arte, sua principal fonte de sobrevivência. Uma peça de sua autoria, sobre a história de um contador de “estórias”, na qual canta, toca e interpreta sozinho nove personagens, precisou ser cancelada por conta da pandemia. Além disso, seu auxílio emergencial, pago pelo governo federal no ano passado, foi cortado na quarta parcela, sem explicação. “Estou tentando me adaptar com o pouco que tenho”, diz o artista. As inúmeras dificuldades, ao que parece, não são capazes de causar tristeza ao cantor Montenegro, que vive no Acre há mais de 12 anos, como todo nordestino, é bem humorado e fez questão de frisar que se auto-intitula “acrebucano”. Ele veio fazer um show no estado, se apaixonou por uma mulher, dona Maura, com quem vive até hoje, e resolveu trocar as praias de Pernambuco pelo Acre e Recife por Rio Branco. Mas antes de conhecer Rio Branco e virar acreano, Montnegro passou uma rápida temporada em Rondônia (RO), onde recebeu o título de Embaixador da Cultura Amazônica; e em Manaus (AM), onde ganhou um prêmio de excelência em cultura. “Claro que minha maior paixão hoje é por Rio banco, que eu considero minha cidade, mas também sou muito grato aos rondonienses e aos amazonenses”, afirmou.

Veja na, íntegra, a letra de “Força das Vozes”:

SE JUNTARMOS NOSSAS FORÇAS

SEREMOS MUITO MAIS FORTES

NÃO DÁ MAIS PRA ESPERAR

TRABALHO QUE É BOM NÃO TEM

QUANTO MAIS CONTA

SE PAGA

MAIS CONTA TEM PRA PAGAR

SILENCIARAM NOSSAS VOZES

INSTRUMENTOS E CANÇÕES

APAGARAM-SE AS RIBALTAS

SEU DOUTOR FAÇA ISSO NÃO

TÁ FAZENDO MAIS DE ANO

QUE NOS ESTAMOS

PARADOS

ALUGUEL, ÁGUA E LUZ

JÁ ESTÁ TUDO ATRASADO

NOSSA CLASSE TÁ SOFRIDA

MERECEMOS ISSO NÃO

CADA VEZ TÁ MAIS DIFÍCIL

O FEIJÃO,O ARROZ O PÃO

ARTISTA É TRABALHADOR

TEM FAMÍLIA PRA SUSTENTAR

E A FOME NÃO ESPERA

MÃE E PAI SE DESESPERAM

QUANDO VER FILHO CHORAR

COM MUITA LUTA E SUOR

COMPRAMOS NOSSOS INSTRUMENTOS

E HOJE ESTAMOS VENDENDO

PRA TENTAR SOBREVIVER

NÃO DÁ MAIS PRA SEGURAR

A HORA É DE GRITAR

SOLTE A SUA VOZ

ESSA LUTA NÃO É SÓ MINHA

É DE TODOS NÓS. (H. Montnegro).


MATÉRIAS - DENÚNCIAS - VÍDEOS - FOTOS

Fale com a redação do Rondonotícias redacao@rondonoticias.com.br