• Porto Velho

    quinta-feira 2 de dezembro de 2021

Deixar dragas sem combustível paralisa atividade ilegal, diz delegado

Corte de combustível pode barrar balsas de garimpo, diz delegado da PF que já comandou na Amazônia...


TERRA.COM.BR

Publicada em: 25/11/2021 15:34:25 - Atualizado

RIO MADEIRA - Alexandre Saraiva, que atuou por dez anos na região amazônica, diz que ataque à logística do garimpo é meio efetivo de combater avanço da prática no Rio Madeira. Governo articula ações contra dragas que estão na região em busca de ouro

O delegado da Polícia Federal Alexandre Saraiva, que atuou por dez anos à frente da PF na região amazônica, avalia que a melhor estratégia para impedir o avanço das centenas de balsas de garimpo ilegal no Rio Madeira deve ser o corte de suprimentos usados pelos equipamentos.

Saraiva disse que chegou a viver situações parecidas em apreensões de balsas e que a medida mais efetiva, nestes casos, é acabar com a logística. "Quando você acaba com o combustível, com a chegada de peças de reposição, você paralisa a atividade. Tem que deixar passar só água e alimento, para ninguém morrer de fome. Fora isso, não pode entrar nada", disse.


MATÉRIAS - DENÚNCIAS - VÍDEOS - FOTOS

Fale com a redação do Rondonotícias redacao@rondonoticias.com.br