• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quarta-feira 24 de julho de 2024

Rio Guaíba tem cheia histórica e águas invadem ruas em Porto Alegre, diz Agência Nacional de Águas

Rio teve a maior cheia em 82 anos, atingindo a marca de 3,44 metros


CNN

Publicada em: 21/11/2023 09:36:14 - Atualizado

BRASIL: O nível do Rio Guaíba, no Rio Grande do Sul, atingiu a marca de 3,44 metros, segundo dados da Defesa Civil. A marca é o maior nível registrado em 82 anos de história.

Na tarde de segunda-feira (20), o rio atingiu 3,26 metros, conforme medição da régua da Agência Nacional de Águas no Cais do Porto de Porto Alegre, superando os 3,18 metros em setembro passado.

De acordo com a prefeitura de Porto Alegre, equipes auxiliam habitantes da região das Ilhas, a mais afetada pela subida da água.

O prefeito Sebastião Melo determinou o reforço nas ações de apoio, como o encaminhamento dos moradores para o ginásio do Dehmab e casas de familiares, recolhimento de animais para abrigos conveniados, entrega emergencial de alimentos e definição dos pontos de referência para as demandas de cada ilha.

As comportas do sistema de proteção contra as cheias foram fechadas pela manhã, disse a prefeitura.

No total, 107 pessoas, sendo 75 adultos e 32 crianças, foram realocadas de suas residências, de acordo com a Defesa Civil.

Segundo a MetSul Meteorologia, antes do rio atingir 3,26 metros, a cota de 3,19 foi a maior registrada desde a grande enchente que atingiu o rio entre abril e maio de 1941, quando a marca foi de 4,76 metros.

A cheia do Rio Guaíba é um reflexo das cheias de rios que desembocam nele, como o Taquari, Caí e Sinos.

No domingo (19), o Rio Taquari atingiu os 28,94 metros, a terceira maior dos últimos cem anos. A segunda marca foi registrada em setembro deste ano, quando o Taquari atingiu cota de 29,62. Em 1941, a cota do Taquari atingiu os 29,98 metros.

Já o Rio Caí alcançou no domingo 9,01 metros em Montenegro, segunda maior cota desde 1940, conforme dados do Serviço Geológico Brasileiro (CPRM). Cota só é superada pela marca de 9,20 metros da enchente de 1941.

Em São Jerônimo, às margens do Rio Jacuí, houve alagamento nesta segunda-feira (20). O rio transbordou e deixou casa e carros encobertos pela água.

Santa Catarina

Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, apesar de terem sido registradas reduções nos níveis dos rios no estado com a diminuição da chuva no último final de semana, com a previsão do retorno das precipitações entre quarta (22) e quinta-feira (23), há alto risco de inundações nas regiões do Grande Oeste, Vale do Itajaí e Planalto do Sul.

A partir desta quarta-feira, a formação de uma frente fria deve resultar em temporais. Os maiores acumulados estão previstos para o Grande Oeste, com expectativa de precipitações entre 70 e 130 milímetros.

Nas demais regiões, são esperados volumes entre 40 e 80 mm. Na sexta-feira (24), um sistema de alta pressão avança pelo estado e mantém o tempo firme com variação de nuvens nas regiões de divisa com o Rio Grande do Sul. Nas demais áreas, ainda há condição para chuvas fracas.

O final de semana deve ser marcado pelo tempo nublado e temperaturas amenas. Não se descarta a possibilidade de pancadas de chuva isoladas, especialmente nas áreas de divisa com o Paraná.





Fale conosco