• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 24 de fevereiro de 2024

O Dia na História - Compilação do Jornalista Lúcio Albuquerque


Lúcio Albuquerque

Publicada em: 26/11/2023 14:52:09 - Atualizado

1917 – O juiz de Paz José Solecindo dos Santos, responsável pela eleição em Santo Antônio (então MT), informa: a eleição para diversos cargos políticos, será feita toda nas 2 seções da sede do município.

1975 – Criação da Polícia Militar do Território Federal de Rondônia, pela lei Federal nº 6270, quando era governador o coronel Humberto Guedes e declarada extinta a Guarda Territorial.

1977 – Instalação do município de Cacoal.

1977 – O radialista Pinheiro de Lima faz, para a Rádio Caiari (PVh), a primeira transmissão de um jogo de futebol de uma cidade da BR, do estádio do Incra, em Cacoal.

26 – 1978 – A pedido da senhora Gilsa Guedes, esposa do governador Humberto Guedes, a direção da Lojas Pernambucana destinou o valor do coquetel de inauguração para obras sociais em Porto Velho.

1984 – Inaugurada dia 24 a primeira agência do Banco do Estado de Rondônia, Beron, fora do Estado, em Brasília.

COMEMORE

Dia da Melancia. Dia Interamericano do Ministério Público. Dia do Corpo Auxiliar da Marinha.

Católicos lembram São Sirício, São Leonardo de Santo Maurício, São Silvestre

BRASIL

26 – 1993 – Morre Grande Otelo, pseudônimo de Sebastião Bernardes de Souza Prata (+ 1915), ator. 1930 - Pelo decreto n. 19.433, o presidente Getúlio Vargas cria do Ministério do Trabalho. 2005 – Acontece a “Batalha dos Aflitos”, quando o Grêmio vence a série B contra o Náutico-PE.

MUNDO

1922 – 3 mil anos depois de selado, foi aberto pelo explorador Howard Carter o túmulo do faraó egípcio Tutancâmon. 2021 — Pandemia de COVID-19: a OMS identifica a variante Ómicron do SARS-CoV-2.

FOTO DO DIA

CHAGAS NETO

Cearense, veio para a Amazônia bem jovem, representando um produto fabricado por sua família em Sobral, chegando a Porto Velho no final da década de 1960. Formado engenheiro civil, instalou uma extensão do ramo familiar nessa área na capital rondoniense.

Francisco das Chagas Neto foi soldado no Tiro de Guerra de sua cidade e bom (ele dizia) jogador de futsal. Não trocava saxofone, mas era fã desse instrumento e seu escritório tinha peças artesanais de sax e fotos de algum expert.

Como empresário ajudou a capital a crescer, com obras em conjuntos habitacionais, presidiu a escola de samba Pobres do Caiari, foi secretário estadual de Obras e deputado federal constituinte em 1988. Na política ele foi quase uma exceção, com trânsito em todas as siglas e alas dentro delas

Sem dúvida, uma obra importante por ele criada, com alguns amigos, e que continua bem viva foi o “Saudosismo Portovelhense”, grupo voltado à história da cidade e seus personagens, fonte de pesquisa para muitos que a pretendam conhecer.

(F. Chagas Neto num dos encontros dos “saudosistas” – acervo “Saudosismo Portovelhense”)


Fale conosco